Tomar uma xícara de café espresso já é um hábito diário da maioria dos brasileiros, mas é algo tão natural que nunca paramos para pensar como foi que aquela bebida chegou até a nossa xícara. Sabemos como funciona o processo de preparo na máquina de café expresso, mas você sabe como é feito o cultivo do café?

Neste conteúdo trouxemos algumas informações essenciais para entendermos o processo de plantio e colheita do café, e o processo de preparo até o momento do consumo. Vem conferir!

O processo de cultivo e comercialização do café

Você sabia que o Brasil é o segundo país no ranking de maiores consumidores de café em todo o mundo? Mas apesar de perdemos em posição para os Estados Unidos em relação ao consumo, lideramos o ranking como maiores produtores de café em escala mundial.

De acordo com informações publicadas pela Embrapa, já são cerca de 2,2 milhões de hectares do território brasileiro dedicados exclusivamente para o cultivo do café. Parece bastante, não é? Mas essa é só parte do processo de produção do café no país.

Plantio e colheita do café

O plantio do café é o primeiro estágio no processo de cultivo, e pode variar de região para região de acordo com o tipo de café (já falamos sobre esse assunto aqui em nosso blog). Cada tipo de café possui suas condições adequadas para seu desenvolvimento, por isso é muito importante possuir amplo conhecimento sobre clima, solo, altitude etc.

A colheita, aqui no Brasil, geralmente acontece cerca de 7 meses após o período de florada do café e geralmente entre os meses de abril e setembro. É nesse período que observa-se a maturação do fruto e, se estiver no estágio de cereja, recomenda-se a colheita.

Podemos observar, em uma mesma planta de café, os frutos em várias fases de maturação ao mesmo tempo. Por este motivo é essencial que a maior parte dos frutos esteja na mesma fase.

As características que determinam a qualidade do café já podem ser notadas mesmo no período de plantio e colheita e, se não forem conduzidos de forma correta, o resultado final do café pode ser comprometido. Um exemplo? Quanto mais tempo o fruto do café permanecer no pé, mais fermentado estará, porém se forem colhidos antes do tempo, os frutos não apresentarão a capacidade volátil, responsável por garantir a variedade de aromas e sabores.

Secagem do café

Após a etapa da colheita e antes que o café seja encaminhado para a etapa da limpeza, os frutos passam por um processo de secagem. Esse processo de secagem pode ser dividido em dois formatos: via úmida e via seca, sendo o último formato o mais comum aqui no Brasil.

O formato via úmida demanda a utilização de equipamentos especiais, grande quantidade de água e pode até levar mais tempo. Por este motivo é dificilmente a opção escolhida pelos produtores.

Já a via seca baseia-se na disposição dos grãos de café em esteiras localizadas em ambientes secos e com incidência direta do sol, para que, dessa forma, seja iniciado o processo de secagem. Os grãos, ainda com casca, começam a secar de forma natural e devem ser virados, de tempo em tempo, para que a umidade seja removida de forma completa.

Ao perceber que os grãos apresentar umidade de cerca de 40% apenas, os grãos são direcionados então para a próxima etapa, os secadores. O processo de secagem dos grãos de café é finalizado quando os grãos apresentam umidade entre 11 e 12%.

Limpeza e descasque

É nesta etapa que os grãos de café são divididos e classificados de acordo com suas características e qualidade, sendo possível identificar quais grãos serão comercializados como especiais, gourmet, tradicionais etc.

Na fase na limpeza os grãos de café são separados de possíveis sujeiras e outras impurezas que acompanham a colheita e secagem, como resto de terra, folhas e galhos, pedras, entre outros. Após serem “limpos”, os grãos de café são enviados diretamente para os descascadores.

É a partir dessa etapa que os grãos são separados e ensacados de acordo com os requisitos estabelecidos pelos compradores e enviados.

Qual o papel do barista?

Mesmo após todos os processos citados anteriormente e enviados para o comércio, os grãos ainda não estão prontos para o consumo. Algumas etapas ainda são necessárias, como a torrefação e a moagem.

Essas etapas devem ser planejadas e executadas com todo o cuidado e por profissionais que tenham o conhecimento necessário para não comprometer a qualidade do café, preservada até então durante todo o processo do cultivo.

Geralmente o barista é o profissional responsável por tais funções. Mas muitos entusiastas do café hoje buscam formas de aprender como executar essas etapas e aproveitar todas as experiências sensoriais no preparo do café para o consumo.

Experiência Gaggia

Agora que você já sabe qual o processo de cultivo do café, que tal experimentar o melhor espresso italiano? A Gaggia é pioneira na produção das máquinas de café espresso no mundo. Quer ter essa experiência na sua casa? Acesse nossa loja online e confira!

ACESSAR LOJA ONLINE

Leia também: Tipos de café: você sabe qual a diferença?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo
GAGGIA ® / 2019 todos os direitos reservados.
Design nairuz logo