Há muito tempo os cafés exóticos têm chamado a atenção de coffee lovers ao redor do mundo. E não apenas pelo seu sabor ou características próprias, mas também pelas particularidades e curiosidades que fazem desses grãos tão especiais, raros e, principalmente, caros. Afinal, os cafés exóticos não são encontrados em todo lugar e exigem um bom investimento de quem topar a experiência.

Se você já consumiu algum tipo de café exótico, sabe bem do que estamos falando. Mas, caso contrário, neste conteúdo contamos tudo sobre esse café, o que o torna tão peculiar e quais são os protagonistas deste segmento de mercado.

Quer saber mais? Acompanhe nosso conteúdo até o final e confira!

O que são cafés exóticos?

Chamamos de exótica qualquer coisa que possua características estranhas a nós. E aqui não estamos nos referindo a estranhas de uma forma pejorativa, mas sim diferentes, ou seja tudo aquilo que não conhecemos. Estamos habituados ao café plantado e colhido nas grandes fazendas, lavado, secado e selecionado com muito cuidado. Já conhecemos bem as etapas percorridas pelos grãos desde o cultivo até a comercialização.

É um processo simples e que garante a qualidade da maior parte dos cafés que geralmente consumimos. Mas você sabia que nem todos os grãos são preparados assim? É o caso dos cafés exóticos que, ainda em seu processo de produção e preparo, passam por algumas etapas a mais, o que confere a eles sabores e aromas muito raros.

Essas etapas podem ser um tanto quanto… Diferentes! E seus apreciadores são, em sua grande maioria, aventureiros do universo do café e que não dispensam uma nova experiência. Será que você também toparia experimentar um café exótico e raro?

Deixamos abaixo os principais tipos de cafés exóticos encontrados no mundo e suas principais características. Você pode até se surpreender com algumas “etapas” na produção do café, mas podemos garantir que esses grãos são muito apreciados no mundo todo e, caso você tenha curiosidade e disponibilidade, vale a pena experimentar.

Café Kopi Luwak

cafés exóticos

Esse café exótico sempre encabeça a lista, especialmente pela sua popularidade, uma vez que é o café exótico mais conhecido, e pelo grande número de apreciadores. No entanto, sua origem peculiar impacta diretamente no valor, o que faz do Kopi Luwak o café mais caro do mundo.

Então não basta apenas o desejo de experimentar, mas um orçamento mais flexível também. Afinal, estima-se que apenas um quilo dos grãos custe mais de R$ 1.400,00. É realmente um alto investimento, mas vale bastante a pena se você é, de fato, um grande apreciador de café.

Originário da Indonésia, mas muito produzido no Vietnã, o café Kopi Luwak é encontrado nas fezes do civeta, um mamífero carnívoro natural do sul e sudeste da Ásia. O animal, que tem predileção pela cereja do café, entre outros alimentos, escolhe cuidadosamente os melhores grãos para consumo da polpa. A semente, por sua vez, vai direto para o estômago do animal, sendo fermentada e descartada com as fezes.

Após esse processo, os grãos são recolhidos, lavados e comercializados. Os consumidores mais especialistas afirmam que a bebida apresenta notas de chocolate e suco de uva.

Monkey Coffee

Esse segundo tipo de café exótico e raro não é consumido por nenhum animal, mas leva o nome de “café do macaco” porque é esse animalzinho que faz a seleção do grão. Isso porque os macacos adoram a cereja do café e, ao contrário de nós, seres humanos, que valorizamos muito as sementes, o interesse dos primatas é exclusivamente na mucilagem.

Por isso, eles retiram toda a polpa do fruto (com a mucilagem), descartando as sementes logo em seguida, as quais são recolhidas, lavadas e comercializadas. E o motivo desse café exótico ser tão caro e raro? A qualidade dos grãos selecionados, afinal, os macaquinhos são muito exigentes na escolha dos frutos.

Black Ivory Coffee

cafés exóticos

Muito popular na Tailândia, esse tipo de café é preparado dentro do estômago dos elefantes. As frutas do café são servidas aos elefantes junto com a ração e outros alimentos naturais e, depois de digeridos, os grãos são eliminados inteiros por meio das fezes dos animais. Um processo muito semelhante ao que acontece com o Kopi Luwak.

A diferença é que os elefantes possuem um metabolismo lento, o que dá tempo suficiente para que os grãos sejam fermentados naturalmente com outras plantas e substâncias presentes na ração. Isso faz com que o café perca grande parte do seu amargor, resultando em uma bebida mais doce e suave.

Jacu

Esse café exótico está muito próximo de nós e é produzido aqui mesmo, em território brasileiro. O grande responsável pelo preparo do grão raro e caro é uma ave nativa chamada Jacu, presente especialmente no estado do Espírito Santo.

Esse animal, que adora café tanto quanto nós, busca pelas frutas mais maduras e as engole, aproveitando apenas a polpa e eliminando suas sementes. Enquanto são submetidas ao processo digestivo do animal, esses grãos sofrem fermentação natural e adquirem uma doçura natural, sem amargor e com baixa acidez.

Ocupa o segundo lugar no ranking de cafés exóticos mais populares no mundo e apresenta um custo inferior aos demais.

 

E aí, já experimentou algum café exótico? Conte nos comentários como foi a experiência!

 

Gostou do nosso conteúdo? Então leia também: O que significa a acidez no café? Entenda mais sobre esse atributo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo
GAGGIA ® / 2019 todos os direitos reservados.
Design nairuz logo